quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Confissão do Equilibrista



Na corda bamba 
espero pela queda.
Mas o Agora
é o que existe.
Maturo a possibilidade
de ir ao céu
ou ao chão.

E continuo a me equilibrar.
Não estão, o céu e o mar, unidos?

Talvez o tempo passe,
a vontade cesse
e a travessia se complete.

Por que a espera?

Falta coragem
de arriscar não estar
no fio incerto da corda bamba.

Será que o céu me deseja,
ou irei ao chão?
Então o medo de cair
e matar a chance de voar.

Mas não será o equilíbrio
a própria morte?






P.S.Sem lirismo.:
O desejo existe, mas esperamos pelo momento propício.
Não será o próprio desejo quem dita a hora certa?
A dúvida paralisa, mas tenho que agir.
Não podemos jurar o amanhã.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Pássaros Silenciosos


Havia pássaros
e por mais que a terra
em torno de si e do sol
não cessasse seu mover contínuo
eles não mais cantavam.

Todos  os pássaros, 
como se em greve,
pararam de assoprar 
cantigas no ar.

Não só pararam seus cantos,
como também suas penas
não mais golpeavam o céu.

O silêncio imperava
sem motivo algum.

Talvez não haja relação,
mas por pensar estar surdo
alguém perdeu a razão de viver.

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Quando acabar


Foi por amar o vermelho
que compreendi
a força do azul.



Mergulho



Foi por viver inteiramente
o que há de viver,
o preto
o branco
a dor
a indiferença
que hei de não renascer.

É por aceitar a incoerência
por amar a ambiguidade
que os ossos se fazem moles
e range a carne
quando o peito parar de bater.


sexta-feira, 15 de junho de 2012

Necessária Morte Para Inevitável Renascer.



Ao destruir a tudo
que é pronto e sólido
nasce a verdade.

que quando pronta
mais uma vez  
tem que morrer.



Amo
incoerência
integridade
mentira.
Se dar o direito de ser
livre
mudar
voltar atrás
renascer.

Amo a água 
e o desforme.
A transformação.

Nascer sobre as cinzas.

Para amar o nascimento
é preciso amar a morte
e a destruição.



Amar a incoerência
para amar o mundo
e principalmente
as pessoas.
Pois estes assim são.

Para abraçar o universo
e seu curso
é necessário
ser disforme
ser água
para integrá-lo 
e vice-versa.

O que tem forma
não penetra,
não se perde,
não se mistura,




mas
se aparta.





A forma
verdade
 alicerces
matéria
só ama a seus próprios limites.

O verdadeiro amor 
só é possível na disformidade.
Quando tudo for destruído
e a água imperar.


Assim a morte
para o renascer.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

do outro lado


...

"Epigrams succeed where epics fail."
- Persian proverb


Hexagrama 13




Hexagrama 13
Comunidade (União, Congraçamento)
Céu
Fogo
Linha móvel (nove) na quarta posição significa:
Ele sobe em seu muro e não pode atacar.
Boa fortuna.
Aproxima-se a reconciliação após o desentendimento. É verdade que subsistem ainda muros que separam e sobre os quais as pessoas se confrontam. Mas as dificuldades são grandes demais. Elas se envolvem com problemas e isso as leva à reflexão. Não podem lutar, e justamente nisso reside a boa fortuna.
Linha móvel (nove) na quinta posição significa:
Homens ligados por um sentido de comunidade
primeiro choram e se lamentam, mas depois riem.
Após grandes lutas conseguem encontrar-se.


Duas pessoas estão exteriormente separadas, porém unidas em seus corações. Suas posições na vida as mantêm separadas. Erguem-se, entre elas, muitos obstáculos e impedimentos, causando-lhes tristezas. Mas elas não permitem que nada as separe e permanecem fiéis uma à outra. E ainda que a superação desses obstáculos exija grandes lutas, elas vencerão e, ao se reencontrarem, suas tristezas se transformarão em alegria. 
Confúcio comenta a respeito desta linha:
“A vida conduz o homem responsável por caminhos tortuosos e mutáveis. Muitas vezes o curso é bloqueado, em outras segue desimpedido. Ora pensamentos sublimes vertem-se livremente em palavras, ora o pesado fardo da sabedoria deve fechar-se no silêncio. Mas quando duas pessoas estão unidas no íntimo de seus corações podem romper até mesmo a resistência do ferro e do bronze. E quando duas pessoas se compreendem plenamente no íntimo de seus corações suas palavras tornam-se doces e fortes como a fragrância das orquídeas”.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Seigan- 3 de Maio



Nasci!
O mundo encara
meus olhos abertos
o pulsar ritmado do peito.

A vida chama
em cada face
o oceano
nos cantos
o silêncio.

Nasci
ao sentir tamanha gratidão
gravei em meu sorriso
a lua.

Para saldar-te
mestre
dou minha vida eterna
em que somos apenas um.

domingo, 29 de abril de 2012

Mergulho



Tome o tempo que é preciso
para viver o que lhe é designado.

Saibamos reconhecer o efêmero
                                               o eterno,
                                                     e a morte de ambos.
Morra o que tem que morrer,
                                             morra.
                                              
                                            Te espero.

por não saber fazer diferente.
                                                espero
Mas tento
tanto que o meu ser mutante
passa a ser mais constante que as estações.

Espero.

Entre as buscas desesperadas
                                       por instabilidade
                                                             por mudança
o peito permanece constante e fiel
enquanto o corpo oscila
ora voando ou em maré
       
                                                         Pois não sei fazer diferente.

Corpo de rocha
                      de terra
tenta nada transparecer
                                       firme e alheio
com pequenas poças de lama
na dura cabeça
                         vejam
se consumirem chamas azuis
profundo oceano
que chama

                     

mergulhe
mergulhe
mergulhe
afunde
se afogue.

Mas são olhos
e só.



enquanto não vem
                      não me censure
                                 ou a si.

Quando a hora chegar
MERGULHE
sem a pretensão de voltar.
deixará a água entrar e afundar
                             sem se mover
                                 relutar.

Não há porque resistir
às nossas próprias escolhas.

Seu corpo será leve e afundará
sem pressa
nunca atingirá o solo.


Espero.


                                         pela hora
                                                que se tornará 
                                              parte do mar
                                                        de mim.

Não se incomode com minha pressa
esperarei até que o corpo toque ao chão
pois não sei fazer diferente.

Mas se um dia eu souber,
me esqueça.

sábado, 21 de abril de 2012

terça-feira, 20 de março de 2012

deslocamento


às vezes, com os pés no chão... e a cabeça voando alto.
e outras, mesmo voando alto... querendo fincar raízes.

terça-feira, 13 de março de 2012

segunda-feira, 5 de março de 2012

caia



cai
cai um
cai dois
cai 
tudo cai
entre o céu 
e a terra
de nosso 
prórpio ser

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Algumas palavras para parar de pensar



(perdido no tempo)

Sinto sua falta 
- um ventilador na tempestade.

Mas confesso que as vezes penso.
quando a fumaça entra pelo nariz
fazendo o corpo cada vez mais vazio
do que cheio
da sua presença em mim.

Mas logo breco.

Gosto de não pensar. 
Me faz
sentir viva,

mais tranquila,
mais vazia
que cheia
de milhares
coisas que carrego
e me carregam.

Mais livre de mim mesma
- cabeça sempre cheia.

Não idéias
não pensamentos
mais ação.

Não penso em você
como penso em tudo mais 
pois existe
não preciso imaginar
ou projetar meus anseios
planejar e fazer contas.

Tenho a oportunidade
de pelo menos um pouco
apenas (te) viver.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A fúria da água por não saber que já é mar.







Desgosto daquilo que é
quando sem controle solta
Fere o que cerca
acerta os cacos
saindo de si.

Tenta conter no corpo
o eu enorme
porém é rio abundante
escorrendo pelo aquário
transbordando pelos cantos
até que vazio.